NOTÍCIAS


Dia Nacional de Combate à Hipertensão alerta para os perigos e medidas de prevenção contra a pressão alta

Desde 2002, o calendário da saúde marca 26 de abril como o Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hipertensão. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), a data vem para conscientizar a população sobre os riscos e a importância da prevenção. Entre outros pontos, o objetivo é informar sobre a necessidade de aferição regular da pressão, adoção de hábitos saudáveis, diagnóstico, prevenção e tratamento apropriado.

A hipertensão, também conhecida como pressão alta, não tem cura, mas pode ser controlada. No Brasil, estima-se que 45% dos adultos entre 30 e 79 anos (bem mais que a média global, de 33%) sejam afetados pela doença, chegando a 50,7 milhões de casos. É um quadro que merece total atenção. Dados mundiais indicam que a pressão alta é responsável por 54% do total dos casos de acidente vascular encefálico e 47% de infarto agudo do miocárdio.

 “A pressão alta é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados de pressão arterial, que, muitas vezes, leva à alteração de órgãos importantes como coração, cérebro, rins e vasos sanguíneos, com consequente aumento do risco de eventos cardiovasculares fatais e não fatais”, esclarece a cardiologista Ana Carolina Noronha Campos Berbel, do Hospital Dona Helena, de Joinville (SC).

Ações de prevenção e conscientização se mostram eficazes para diminuir a incidência da doença em crianças, jovens e adultos. Mudanças de hábitos alimentares e atividades físicas regulares diminuem a incidência da doença. A prevenção ainda é o melhor remédio. A médica recomenda medidas como controle do consumo de sódio, álcool, tabaco e ingestão de alimentos gordurosos ou ricos em potássio, controle do estresse e hábitos saudáveis adotados desde a infância.

As causas mais comuns de aumento da pressão arterial são excesso de peso e obesidade, ingestão excessiva de sal, de álcool, sedentarismo, idade avançada, estresse. O uso de medicamento deve ser individualizado, conforme o quadro de cada paciente, seguindo orientações de especialistas, e sempre associado à mudança do estilo de vida. Para um adulto ser considerado hipertenso, sua pressão deve ser sustentada e 14 X 9, aferida em consultório pelo menos em três ocasiões.

Confira outras recomendações da cardiologista:

# A medida da pressão em crianças é recomendada em toda avaliação clínica, após os 3 anos de idade, pelo menos anualmente, como parte do seu atendimento pediátrico primário.

# Os valores da pressão na criança são diferentes dos adultos e devem seguir as recomendações especificas de acordo com idade, o sexo e a altura.

# Também existe uma pressão chamada de hipertensão secundária, que pode ser causada por alterações da tireoide, hormonal, tumor, estenose das artérias do rim, alteração congênita da aorta e por apneia do sono.

# Quanto mais altos forem os valores da pressão e mais jovem o paciente, maior é a possibilidade de a hipertensão arterial ser secundária, com maior prevalência das causas renais.




26/04/2024 – Cultura FM

COMPARTILHE

SEGUE A @RADIOCULTURATIMBO

NO AR:
ALEGRIA DA CIDADE