NOTÍCIAS


Mais de 2 milhões de crianças no país estão sem vagas em creches - Em Timbó lista de espera segue zerada

Recentemente, dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam que cerca de 2,3 milhões de crianças com até 3 anos de idade não têm acesso às creches no Brasil. Essa realidade reflete uma série de dificuldades enfrentadas pelas famílias, incluindo a localização das instituições, a falta de vagas e questões socioeconômicas.

Em Timbó, segundo informações obtidas da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), a lista de espera segue zerada. O que significa que todas as crianças do município são atendidas pelo serviço dos Núcleos de Educação Infantil.

Segundo o levantamento realizado pela organização Todos pela Educação (TPE), as famílias mais pobres são as mais afetadas, com quatro vezes mais dificuldades para obter vagas em comparação com as famílias mais ricas. Embora a creche não seja obrigatória no país, é um direito garantido pela Constituição Federal, cabendo ao Estado fornecer as vagas necessárias.

Entretanto, os dados indicam que o Brasil está longe de cumprir a meta estabelecida pelo Plano Nacional de Educação de atender pelo menos 50% das crianças de até 3 anos em creches até 2024. Atualmente, apenas 40% das crianças nessa faixa etária frequentam creches, enquanto 40% não frequentam por opção dos pais ou por dificuldades de acesso.

Entre os principais obstáculos enfrentados pelas famílias estão a falta de vagas, a distância das instituições e a recusa das creches em aceitar crianças de determinadas idades. Esse cenário de desigualdade é mais acentuado em estados como Acre, Roraima, Pará e Piauí, onde a demanda por creches é mais alta.

Para tentar solucionar esses problemas, tanto o governo federal quanto os municípios estão se mobilizando para ampliar a oferta de creches. No entanto, os desafios são diversos, incluindo a infraestrutura adequada e a contratação de profissionais especializados. Além disso, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que estabelece o direito das crianças de até 5 anos à educação infantil também demanda esforços adicionais.

O presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Alessio Costa Lima, destaca a importância da colaboração entre os diferentes níveis de governo e a necessidade de investimentos em infraestrutura para expandir a oferta de educação infantil.

Em março deste ano, o governo anunciou a destinação de R$ 4,1 bilhões para a construção de 1.178 creches e escolas de educação infantil no país. Os recursos são do Novo Programa de Aceleração do Crescimento.

Imagem divulgação Agência Brasil




08/04/2024 – Cultura FM

COMPARTILHE

SEGUE A @RADIOCULTURATIMBO

NO AR:
AUTO PROGRAMAÇÃO